Hello Kitty!

Falando de gatos, de moda, do meu Dolce a brincar com um balão da Hello Kitty!… aqui fica um pouco sobre a gata que “não tem boca porque fala com o coração!”

HelloKitty_IndieWire

A Hello Kitty foi patentada em 1976! O que explica porque me lembro dela, de pequenina. Nasci em 1983, devia ter uns 3 anos quando recebi o 1º presente da marca!

Há histórias diferentes sobre a Hello Kitty, dizem que ela pesa 3 maçãs! Dizem que não é uma gata, mas uma menina Mangá (ilustração/animação japonesa); e dizem também que o desenho original foi feito por uma menina, que estava doente com cancro, numa cama de hospital… Quando uma imagem se torna um ícone, as mais variadas histórias aparecem, só quem criou a Hello Kitty sabe a verdade.

Deixo-vos algumas imagens que mostram como a Hello Kitty está presente no universo da moda – estilistas e celebridades são fãs – e no nosso dia-a-dia.

HelloKitty_ladygaga.wikia.com

Lady Gaga vestida por Heatherette (imagem de ladygaga.wikia.com)

yesmakeitnow.blogspot.com

As irmãs Jenner num desfile da marca (imagem de yesmakeitnow.blogspot.com)

it.wikipedia.org.png

Avril Lavigne num universo inspirado pela Hello Kitty (imagem de it.wikipedia.org)

Celebuzz

Paris Hilton na exposição dos 35 anos da Hello Kitty (imagem de Celebuzz)

Ciara_Pinterest

Ciara, sempre cool, de pijama (imagem de Pinterest)

Pinterest

Flores para vocês! de Lady Gaga (imagem de Pinterest)

IMG_9504.JPG

O colar da baby Valentina 💗 filha da minha querida amiga Mary

IMG_9503

A pulseira 🎀

IMG_9524

O meu verniz

#HelloKittySemLimiteDeIdade 🐾

A moda e os gatos

Não é de agora que os gatos têm um papel importante na moda. Inspiram, posam, tornam reconhecido. Fazem-nos arrepiar, sorrir, rir. Os gatos são seres especiais, cheios de personalidade e individualidade. Dizem que os gatos foram pessoas, noutra vidas… quando olho nos olhos dos meus, acredito. Parece que sabem muito e que nos lêem! Este artigo é dedicado a quem gosta tanto de gatos como eu. Deliciem-se!

Fashion Gone Rogue

Anúncio (imagem de Fashion Gone Rogue)

Karl_dailymail.co.uk

O mestre, Karl Lagerfeld (imagem de dailymail.co.uk)

Guy_Pinterest_3

Editorial (imagem de Pinterest)

Guy_Racked

Editorial (imagem de Racked)

BW_Pinterest_7

Amanda Seyfried (imagem de Pinterest)

BW_fashion-lady.ru

Angela Lindvall (imagem de fashion-lady.ru)

BW_Pinterest_5

Linda Evangelista (imagem de Pinterest)

BW_Pinterest_4

Constance Jablonski (imagem de Pinterest)

BW_matome.naver.jp

Laetitia Casta (imagem de matome.naver.jp)

Brigitte_BW_Pinterest

Bridget Hall (imagem de Pinterest)

Brigitte_1_Pinterest

Bridget Hall (imagem de Pinterest)

Cindy_Panorama - Icon

Cindy Crawford (imagem de Panorama – Icon)

Candice_Pinterest_8

Candice Swanepoel, a gata (imagem de Pinterest)

Fernanda_Pinterest_6

Fernanda Tavares (imagem de Pinterest)

Miu Miu

O meu perfume! (imagem de Miu Miu)

IMG_7363

O meu Dolce Fellini com uma Hello Kitty (parecido com o gato do anúncio da Miu Miu)

IMG_7611

A minha Snooki Fellini

Prada_PopSugar

Não digo que têm personalidade? Grumpy! (imagem de Pop Sugar)

#Miau!

Anita vai ao Waking Life

Dizem que não há 2 sem 3… depois do Primavera Sound e do Neopop, faltava-me um festival; o escolhido foi o Waking Life. Foi a sua 1a edição, aconteceu entre 17 e 20 de Agosto e teve lugar no Crato, Alentejo. O conceito do Waking Life é o de “um espaço onde a música, a criatividade e a co-criação se aliam”, onde as pessoas “são livres de se (des)ligar”, sempre com consciência ambiental.

IMG_8797

Um pôr-do-sol mágico

IMG_8835

IMG_9385

IMG_9386

IMG_8834

A estrutura mais espetacular, espaço chill out, que tanto me lembra o Burning Man

IMG_8840

Uma das instalações de arte

IMG_8838

Pés festivaleiros

A música que teve lugar no festival, foi a techno, bem pura, fora do chamado circuito comercial. Foram 4 cabines de som espalhadas pelo recinto, que nos encheram o coração e os ouvidos de batidas graves e agudos, fortes.

À noite, o recinto transformou-se. As luzes, a música, as instalações e as pessoas, algumas vestidas de forma peculiar e artística, criaram uma atmosfera do mundo fantástico.

IMG_8907

Vai um jogo de xadrez?

IMG_8908

IMG_8934

IMG_8936

IMG_8941

Eu pedi o meu desejo!

IMG_8963

Nós

IMG_8910

Uau!

IMG_8961

IMG_8979

Floresta encantada

IMG_8929

Mandala: representação do espaço e tempo divinos

Foram muitos km de estrada, poucas horas de sono e muito calor, mas valeu a pena cada minuto… a paisagem, todos aqueles bpms, o intercâmbio cultural. Respirar fundo, abrir os braços, sorrir e sentir a Natureza. Obrigada Alentejo!

 

 

Anita vai ao Neopop

Como vos falei, o meu amor pela música eletrónica vem de há muito tempo… e não tem fim. Depois de ir ao Primavera Sound para ver, em especial, o Richie Hawtin, tive de ir ao Neopop, para ver o Paco Osuna, o Speedy J e o Loco Dice, entre outros. Para quem não sabe, o Neopop acontece desde 2006, em Viana do Castelo. E sim, embora eu não tenha ido religiosamente todos os anos (quase), fui à primeiríssima edição!

IMG_8351

A música eletrónica é um sentimento, só quem escuta, sabe. No meio da multidão, há entendimento, mesmo quando uns falam uma língua diferente dos outros. E isso, é simplesmente fantástico!

IMG_8417

Foto do vídeo (linha da frente!)

Paco Osuna, o catalão atope!

IMG_8297

Speedy J, o guru de Roterdão

IMG_8310

E como vos digo, magia acontece… #Blessed

IMG_8396

Loco Dice #NoLocoNoParty

IMG_8398

Obrigada Neopop por tantos anos de boa música! E obrigada a todas as minhas companheiras de viagem: unidas pelo techno!

Anita modelo! II

O último look da sessão fotográfica #Mermaid urbana.

Um trabalho feito em parceria com o Marcello Nigro, a Marta Mafalda e a Boom Bap.

Cores que contrastam e ao mesmo tempo, se complementam e que me envolveram num momento de fantasia. Sereia sem cauda! Porque somos o que quisermos.

_MG_1188_

Calções Zara Sandálias Bimba y Lola

_MG_1193_MG_1198_MG_1184

Maquilhagem com produtos Mac Cosmetics e Nyx Cosmetics / Cabelo com produtos Philip Kingsley, ambos por Marcello Nigro / Fotografia de Marta Mafalda

And now, that’s a wrap!

Anita modelo!

Desafiei o meu querido amigo e maquilhador Marcello Nigro, a fotógrafa Marta Mafalda e a marca Boom Bap para uma parceria, e o resultado foi esta sessão fotográfica.

Modelo por um dia! Não foi fácil, estar à vontade na frente da câmara, nas praias da Foz com “audiência” à mistura; mas conseguimos fotografias das quais me orgulho.

O tema: uma sereia urbana, se assim se pode dizer. Por isso a base de make up é leve e acetinada e os olhos têm um tom intenso azul turquesa; por isso o cabelo é frisado. Eu costumo dizer que “mentes brilhantes pensam semelhante” e é tão verdade e engraçado! Quando me vi ao espelho lembrei-me da Daryl Hannah no filme “Splash” e da supermodelo Kristen McMenamy. Ambas, sereias tão “não convencionais”, pela personalidade… Adoro!

pinterest.com

(imagem de Pinterest)

The Fashionography

(imagem de The Fashionography)

A imagem que criámos, eu e o Marcello, é fruto da nossa criatividade, mas quem sabe, tínhamos estas 2 referências no subconsciente… Aquilo que nos marca, marca mais que tatuagem, fica guardado numa parte do cérebro, em silêncio… e um dia desperta. A arte fala uma linguagem universal e eu acho isso fantástico.

#Mermaid dos tempos modernos…

_MG_1119_MG_1110

_MG_1052

Leggings Mango Sapatilhas Puma Fierce Swan

_MG_1037_MG_1075_MG_1084

Maquilhagem com produtos Mac Cosmetics e Nyx Cosmetics / Cabelo com produtos Philip Kingsley, ambos por Marcello Nigro / Fotografia de Marta Mafalda

Obrigada Marcello, por alinhares nos meus devaneios criativos, obrigada Marta pela disponibilidade e dedicação, e um obrigada especial à Boom Bap por tão, gentilmente, me ter cedido a roupa. Espreitem! http://www.boombapwear.com/en/

That’s a wrap! For now…

Top 10 dos ícones de estilo (digo eu)

O que é, afinal, o estilo? Para mim, é a forma de vestir e estar de alguém que se sente confortável e confiante na sua própria pele. Como diz a Rachel Zoe, stylist das celebridades, é “uma maneira de dizer quem somos, sem ter de falar.”

Podia escolher muitas personalidades diferentes para ilustrar o que digo, mas eu não seria eu, se não vos mostrasse quem realmente me toca o coração, quem me inspirou enquanto eu crescia e inspira ainda. Por ordem alfabética, é melhor.

  1. Audrey Hepburn

A eterna princesa, elegante, simples e digna. Falei-vos dela a propósito do filme “Breakfast at Tiffany’s” (vencedor do Óscar de Melhor Banda Sonora Original) e recomendo-vos agora, outros 2 filmes com ela: “Sabrina” (vencedor do Óscar de Melhor Figurino) onde contracena com Humphrey Bogart e “Roman Holiday” (filme que lhe valeu o Óscar de Melhor Atriz), onde contracena com Gregory Peck.

2. Bianca Jagger

De certeza já ouviram falar de Bianca, por ter sido esposa de Mick Jagger, dos Rolling Stones (entre 1971-1978). O que talvez não saibam, é que Bianca é uma respeitada ativista social e política. Natural de Nicarágua, a sua beleza exótica não deixava ninguém indiferente, nem mesmo o frio e exigente Andy Warhol que era seu amigo e fã.

3. Coco Chanel

Mademoiselle Chanel. O expoente máximo da elegância. Quem diria que esta senhora foi abandonada num orfanato com 12 anos de idade e viveu depois numa pensão católica? Por isso Coco inventava histórias sobre o seu passado, era a sua forma de lidar com a dor. Foi cantora, costureira e estilista de roupa e chapéus. O seu estilo era inconfundível, seduziu as maiores celebridades. Até Marilyn Monroe se rendeu; em especial ao seu perfume, Chanel Nº5, que dizia ser a única coisa que “vestia” para dormir.

4. David Bowie

O camaleão do Rock. Inteligente, talentoso, misterioso. Um ser com tantas personalidades diferentes dentro de si, que dizia que queria ser mais que humano. Ele era forte e frágil, viril e delicado, masculino e feminino, carismático! Quem não se lembra da música “Let’s Dance“? Para mim, ele nunca envelheceu. O mundo inteiro chorou a sua perda.

5. Grace Kelly

A atriz favorita de Alfred Hitchcock que “abandonou” o plateau para se casar com Rainier III do Mónaco, tornando-se de verdade, princesa. Vencedora do Óscar de Melhor Atriz, com o filme “Country Girl“, desempenhou o maior papel da sua vida como mãe e esposa. Morreu tragicamente nas estradas de Monte Carlo, onde passeava com Cary Grant, no filme “To Catch a Thief“. Ironia, não?

6. Jackie Kennedy

Esposa do Presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy. Editora de livros, intimamente ligada à arte, ícone de elegância. Jackie e John tiveram 4 filhos; nos dias de hoje, apenas Caroline é viva. John foi assassinado em 1963… daí se falar na maldição Kennedy. Triste sina. Não sei se já viram o filme “Jackie“, interpretado por Natalie Portman. É um bom filme, soa sombrio, forte e real. Sublinha o facto do conjunto saia-casaco que Jackie vestiu no dia do assassinato se tornar uma imagem de década. Esse saia-casaco ficou manchado de sangue, com pedaços do cérebro de John agarrados…! E quão surreal é que depois de tudo, não sendo mais Primeira-Dama, o seu estilo de roupa tenha invadido as ruas da América e todas as lojas o “vendessem”… Faz-me pensar no karma/darma que uma peça de roupa carrega/leva consigo.

7. Jane Birkin

Atriz e cantora, conheceu o estrelato com o filme “Blow-Up” de Michelangelo Antonioni (1966). O dueto que interpretou com o amor da sua vida, Serge Gainsbourg, “Je t’aime… moi non plus“, tornou-se uma música polémica, banida em vários países. O seu corte de cabelo, reto e com franja, é imagem dos anos 60 e a famosa carteira Birkin, da Hermès, cujo valor pode ir dos 10.000€ aos 263.000€, foi assim chamada em sua honra. Ícone!

8. Kate Moss

Para mim, “a” supermodelo. Com “apenas” 1,70m, um rosto exquisite, e muita atitude. Kate raramente dá entrevistas, é reservada. Por causa dela é que o meu sonho, com 14 anos, era ser modelo. Descoberta aos 14 (coincidência), num aeroporto, Kate viria a ser umas das modelos a trabalhar mais anos, de forma consistente, na indústria da moda. Ainda hoje, é capa de revista e uma das modelos mais bem pagas. Foi por causa dela que o lookHeroin Chic“, tão 90’s, se difundiu; a pele pálida, aquele smokey eyes borratado, ou o baton escuro aplicado, referência de party girl. O corpo magro e sensual sem esforço. Claro que houve crítica negativa, muita, porque o look parecia “glamourizar” o consumo de heroína e similares; mas é preciso ver que nesta altura, a música grunge e filmes como “Trainspotting“, explodiam. Kate foi alvo de controvérsia várias vezes… ninguém esquece o escândalo “Cocaine Kate”. É certo, ela consumia, mas esse escândalo do Daily Mirror, foi uma cilada: pontos altos do jornalismo… #SóQueNão. As marcas que cancelaram os seus contratos com Kate, H&M, Chanel e Burberry, preocupadas com a imagem e as vendas, pagaram o dobro, ou o triplo, mais tarde (depois da desintoxicação), para tê-la de volta. Ela era e é, assim tão boa. Teve o apoio dos seus amigos e artistas da indústria, entre os quais o falecido Alexander McQueen, que vestiu, num desfile seu, uma tshirt que dizia “We love you Kate”. Bem hajam.

9. Princesa Diana

Primeira esposa de Carlos, Príncipe de Gales. A “princesa do povo”, sempre envolvida em trabalho de caridade, admirada pela sua beleza e estimada de maneira especial por ser tão real e comum, se estas são as palavras certas… pela situação do seu casamento. Um conto de fadas que era tudo menos isso. Finalmente, Diana divorciou-se de Carlos (e todos sabemos que o divórcio não é comum na realeza) e viveu outras paixões, ou outros amores, só ela sabe… Morreu de forma trágica, com apenas 36 anos, em 1997, vítima de um acidente de carro, numa perseguição de paparazzis. Nunca vou esquecer aquele acordar, quando a minha mãe bateu à porta do quarto e me disse que ela tinha morrido. Eu acabava de acordar de um pesadelo, onde uma mulher seguia dentro de um carro, fugia, acompanhada de um homem e de repente, numa imensidão negra, morria. Coincidência? Até hoje, não sei.

10. Victoria Beckham

Cantora, designer de moda e esposa do famoso jogador de futebol David Beckham: preciso dizer mais? Victoria, também conhecida como “Posh Spice” (posh significa que gosta de luxo, de glamour), em bom jeito britânico, é séria (toda a gente comenta que ela raramente sorri para as fotos) e uma esposa, mãe, mulher independente e dedicada. O seu estilo é sempre clássico com um twist, casual chic. Tenho o seu livro “That Extra Half An Inch” e devo dizer que é um dos livros mais simples, interessantes e entusiasmantes de ler. As melhores referências, imagens e dicas de moda.

So… express yourself!

(Imagens de: Dr. Macro, Girls748.rssing.com, Pinterest, Whowhatwear.com.au, Harper’sBazaar, Beladora.com, Depplus.vn, SoPosted.com, Women’sPerfumesReviwes, Backstage Tales, Glamour, Oyster Colored Velvet, The World Wide Wardrobve, Amysfashionandfrolics.blogspot.com, Goiuri.com, Marie Claire, Va-Voom Vintage, Cosmopolitan.com, PopSugar, ShibyShila, The Blonde Salad, Aol.com, InStyle, Sparkles and Shoes, Vogue, Elle, Ana272, Mih Jeans, Vogue Paris, Erika Brechtel, Fashionpeople.ro, Haute Tempered, The Heritage Studio, Katemoss.com, Daily Express, Elle Uk, Who That Weear Uk.)

Anita vai ao Primavera Sound!

O meu amor pela música eletrónica vem de há muitos anos atrás; lembro-me do momento em que percebi que mexia comigo, como se fosse hoje. Foi na festa do 5º ou 6º ano de escola, eu tinha uns 10 ou 11 anos, quando tocou, entre outras, a “Rythm is a Dancer” dos Snap. Lembram-se dessa música? Marcou uma época.

Este amor, sempre, só expandiu. Quanto mais ouvia, quanto mais conhecia, mais fazia sentido. É que a música eletrónica é como diz o Richie Hawtin “A banda sonora do futuro”. Desengane-se quem pensa que é ruído, é arte. O Richie é o artista que melhor espelha o que digo. 1º Plastikman, produtor e dj de techno, depois Richie Hawtin, produtor e dj de techno minimal. Produtor de eventos, sob a etiqueta “Enter” e agora em live performance sob a etiqueta “Close”. E o que é a Close?

Nas suas palavras: “Um show que explora a minha relação com a performance da tecnologia que escolhi, que me permite improvisar o máximo possível, no momento.” Por causa das câmaras colocadas estrategicamente, descobrimos em tempo real, esta relação homem-máquina. Close (perto) porque aproxima a audiência do artista e do seu processo criativo, ao vivo, em palco.

São 17 datas de Close, neste Verão de 2017, pelo mundo fora; 1 na cidade do Porto. Eu tinha de ir! Simplesmente tinha! E fui!

Obrigada Primavera Sound por trazer o #Rei à nossa bela cidade!

IMG_6898IMG_6914

A linha da frente é lugar certo para estar! Pertinho, pertinho! E porque o Richie só veste preto, escolhi o look a pensar nisso.

IMG_7106

E porque, às vezes, magia acontece… #Blessed #LongLiveTheKing

IMG_7112

Obrigada, por fim e também, aos meus companheiros de viagem, vocês sabem quem são. Sem vocês não era a mesma coisa!

 

Swimwear: Breve História

É Verão. Aquela estação do ano em que, de um modo geral, as pessoas estão mais alegres e descontraídas. O sol brilha intenso e o mar chama por nós. A palavra férias ganha outro significado. Tão bom!

A moda de praia/piscina – swimwear – tem diferente importância em diferentes países, já que nos mais quentes há mais procura, mas nos últimos anos as coisas têm-se alterado e talvez as redes sociais tenham algo que ver com isso. Mais exposição implica que tenhamos mais cuidado e atenção com aquilo que vestimos, certo? E toda a gente gosta de se sentir bem, em especial se tem pouca roupa vestida. Há cada vez mais marcas de swimwear e ainda bem, nós agradecemos.

IMG_1939 (1)

Em Budapeste, no meu Instagram, com um fato de banho Kendall&Kylie para Topshop

O sexo feminino pode usar biquini, triquini ou fato-de-banho. O sexo masculino, sunga, calções ou bermudas; há muitos anos atrás, porém, não era nada assim…

No século XVIII as mulheres usavam vestidos de banho!

No século XIX esse vestido tinha comprimento pelo joelho e era conjugado com calças;

No final do século XIX, finalmente se passou o comprimento das calças, dos tornozelos aos joelhos e com isto, novos modelos surgiram;

Na década de 20, surgiu o fato de banho, cobria o umbigo e ia até às coxas;

Depois da 2a Grande Guerra, em Atol de Bikini, onde se testavam armas nucleares, surgiu o bikini, criado por Louis Réard; ver-se o umbigo era considerado muito ousado;

Na década de 60 surgiu o monokini, criado por Rudi Gernreich, composto por 2 alças e as cuecas, deixando portanto, os seios à mostra;

Na década de 70 surgiu o triquini, também criado por Gernreich;

Na década de 80, surgiu a cueca tanga, inspirada nas tribos da Amazónia;

E na década de 2000, no Médio Oriente, surgiu o burkini que cobre todo o corpo (por questões religiosas).

Aventuras na História

(imagem de Aventuras na História)

www.eastessence.com

(imagem de eastessence.com)

maysmachete.blogspot.com

(imagem de maysmachete.blogspot.com)

{ fit } consultoria de imagem

(imagem de { fit } consultoria de imagem)

Universo da Moda & Cia

(imagem de Universo da Moda & Cia)

Sou fã dos anos 80 e 90, por isso não resisto a mostrar-vos as seguintes imagens:

Virgula - Uol

Claudia Schiffer (imagem de Virgula – Uol)

Pinterest

Paulina Porizkova (imagem de Pinterest)

missbloom.bg

Pamela Anderson, na famosa série Baywatch (imagem de missbloom.bg)

Naturalmente,  associo a história do swimwear à história da lingerie. Tudo começou com a lingerie. Roupa interior íntima… mas muito mais que isso; roupa que realça as nossas curvas e nos faz sentir sexy!

IMG_7373 (1)

Lauren Bacall (imagem do livro Unmentionables de Elaine Benson e John Esten)

Se pensarmos nisso, vemos que é cada vez mais semelhante, o design das peças de swimwear, aos das peças de lingerie. Afinal, o conceito é o mesmo, cuecas e soutien, body, mas exteriores e fabricados em materiais ideais para entrar na água. Sou fã de marcas de surf como Billabong, Reef, de marcas brasileiras como Água Doce, Cia. Marítima, Movimento, Salinas e de marcas italianas como Tezenis, Calzedonia e Intimissimi. Todas têm modelos atuais e variados, e uma boa relação qualidade/preço. Estas marcas italianas que referi, são representadas por personalidades como Rita Ora e ajudaram a lançar supermodelos como Sara Sampaio e Irina Shayk. Gosto, especialmente, da vibe romântica italiana da Intimissimi: muito “La Dolce Vita“, muito Dolce&Gabbana.

Tezenis

Rita Ora (imagem de Tezenis)

HawtCelebs

Rita Ora (imagem de Tezenis)

YouTube_Calzedonia

Desfile Calzedonia (imagem de YouTube)

1632 horas

(imagem de Intimissimi)

Fashion Gone Rogue

(imagem de Dolce&Gabbana)

Dsquared Greece

(imagem de Dolce&Gabbana)

myfacehunter.com

(imagem de Dolce&Gabbana)

Dito isto, fiquei com vontade de ir às compras! Não tenho remédio! #GirlsWillBeGirls

Os artistas de hip hop e as marcas

Quem começou com as colaborações? Isso agora… é difícil dizer. Há anos que os artistas de hip hop falam das marcas de roupa de luxo, nas suas músicas, as colocam lá em cima, num pedestal. Usar “marcas” é sinónimo de sucesso e por isso, os artistas gostam de mostrar, mais que isso, ostentar.

Nos últimos anos, as marcas escolheram muitos artistas para os representarem e/ou criarem peças/linhas inteiras. Vejam algumas das colaborações.

Rihanna

para Puma (criadora)

HausOfRihanna

(imagem de Haus Of Rihanna)

arielcalypso.tumblr.com

(imagem de arielcalypso.tumblr.com)

Charme Haut

(imagem de Charme Haut)

Rihanna modeling fur slides from her Fenty x Puma line.

(imagem de orangepeeltransportation.com)

Nice Kicks

(imagem de Nice Kicks)

twitter.com

(imagem de twitter.com)

 

Kanye West

para Adidas (criador)

stylefluidtrendz.blogspot.com

(imagem de stylefluidtrendz.blogspot.com)

www.dailymail.co.uk

(imagem de www.dailymail.co.uk)

newsbeat.co.ke

(imagem de newsbeat.co.ke)

para Alexander Wang

E! Online_2

(imagem de E! Online)

Travis Scott

para Nike

Vogue

(imagem de Vogue)

Rae Sremmurd

para Reebok

Sneaker News

(imagem de Sneaker News)

Asap Rocky

para Dior

Billboard

(imagem de Billboard)

para Alexander Wang

Celebuzz

(imagem de Celebuzz)

Tyga

para Alexander Wang

E! Online

(imagem de E! Online)

Chris Brown

para Philipp Plein

The Hollywood Unlocked

(imagem de The Hollywood Unlocked)

Fetty Wap

para Philipp Plein

So Versailles

(imagem de So Versailles)

Dentro desta temática, tenho de falar-vos da Supreme. Conhecem? É uma marca americana cuja estética está associada à cultura skateboard. Foi lançada em 1994 e além de atrair os skaters, atraiu os punks e os hip hoppers. Os valores da marca são estilo, qualidade e autenticidade.

Dj Khaled, Lil Wayne, Justin Bieber, Quavo, Chance The Rapper

no vídeo-clip “I’m the one”

choiz.me

(imagem de choiz.me)

Puff Daddy

Hypebeast

(imagem de Hypebeast)

A surpresa deste ano é a Louis Vuitton se ter aliado à Supreme! O resultado: febre!!!

HotNewHipHop

(imagem de HotNewHipHop)

NYMag

(imagem de NYMag)

Supreme X Louis Vuitton: All the looks from the collection.

(imagem de WWD.com)

 

E é por isto, senhoras e senhores, que me inspiro tanto no hip hop. Não tenho como não.

Wikipedia